2016-03-29

O Momento

Vais contar-me que passaste um dia maravilhoso e descobriste emoções novas…
Maravilha!  Quando te permites viver a criança que há em ti, tornas-te mais liberta, efusiva, tranquila e confiante.
Adoro sentir-te: ser tocado pelo teu silêncio perfumado, o olhar penetrante, o sorriso que me fascina, pela sedução palavreada.
Falas-me da comunhão com a Natureza que empreendeste nestes últimos dias. O cheiro almiscarado, o chilrear esvoaçante, alguns grunhidos e a musicalidade folheante das irmãs árvores. Ah, e a dança fresca do rio nas encostas verdes.
A tonalidade energética que emanas transporta-me para a vivência do teu momento.
A tua alegria é o poema latente em todo ser animado que ofereces. O quadro que desenhas por ti, eleva-me a uma composição áurea, deleitando-me nos sulcos harmoniosos, sedutores.
Exalas criatividade no caminhar e os teus olhos entregam-me uma oferenda para deslumbrar.
Grato pelo momento que não presenciei, no entanto, existo nele com a imensidão oceânica qual ser marinho vive. Amanhã, nasce a flor que brota em ti. Saboreio cada linha do teu templo, as estórias que respiro nos teus poros, o carinho desenhado nos teus cabelos.
Adorno-me contigo e esvaneço-me em nós. No êxtase do Um, revejo os rostos elementares latejantes da nossa glória. Esquadrejante cadência dos nossos gestos revela o ânimo delicioso que desejamos um para o outro.

Momentos desenhados de emoções são o crivo ofertado ao Cosmos. Pertença comungada por sermos o TODO.

2 comments:

ideiafix65 said...

Fantástico!.. A sensibilidade e sabedoria é um fenómeno.Parabéns amiga Violeta Fernandes

uma túlipa said...

Ana... é mais o nome ;)